(15) 3527-1749 - fax: (15) 3527-1749
24 de Agosto de 2017

Segurança Alimentar pode mudar futuro da migração

“Mude o futuro da migração. Investir na segurança alimentar e no desenvolvimento rural.”

O Dia Mundial da Alimentação, 16 de outubro, será marcado com um novo olhar. A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) traz este ano como tema central da sua campanha: “Mude o futuro da migração. Investir na segurança alimentar e no desenvolvimento rural.” 
 
Segundo a FAO, o aumento de conflitos localizados e instabilidades políticas regionais milhares de pessoas foram forçadas a deixar suas casas. O movimento constante de seres humanos no momento tem superado ao grande movimento migratório ocorrido durante a Segunda Guerra Mundial. E aliados a estas adversidades, ainda a fome, a pobreza e um aumento de eventos climáticos extremos relacionados às mudanças climáticas são fatores que contribuem para o desafio de migração. 
 
De acordo coma entidade, grandes deslocamentos de populações trazem desafios complexos que requerem uma ação global. A organização internacional entende o movimento migratório provoca tensões e confrontos em países em desenvolvimento, onde os recursos já são escassos. É bom saber: em 2015, havia 244 milhões de migrantes internacionais, 40% a mais do que em 2000. As pessoas que se deslocam dentro das fronteiras nacionais foram estimadas em 763 milhões em 2013, o que significa que há mais migrantes internos do que migrantes internacionais. A FAO estima que três quartos das pessoas em situação de extrema pobreza baseiam sua subsistência na agricultura e outras atividades rurais. A FAO acredita que ao investir no desenvolvimento rural, a comunidade internacional pode aproveitar o potencial de migração para apoiar o desenvolvimento e aumentar a resiliência das comunidades de acolhimento e deslocados, lançando assim as bases para a recuperação a longo prazo e crescimento inclusivo e sustentável.
 
A FAO trabalha com governos, agências da ONU, o setor privado, sociedade civil e comunidades locais para gerar evidências sobre padrões de migração reforçando a capacidade dos países para abordar a migração por políticas de desenvolvimento rural. Explorando o potencial de desenvolvimento da migração, especialmente em termos de segurança alimentar e redução da pobreza. A migração é parte do processo de desenvolvimento, como economias sofrem transformação estrutural e pessoas em busca de melhores oportunidades de emprego no seu país e além das suas fronteiras. O desafio é abordar os fatores estruturais de grandes movimentos populacionais para que a migração seja ordenada e regular. Assim, pode contribuir para o crescimento económico e melhorar a segurança alimentar e meios de subsistência rurais.

 

Fonte: FAO