(15) 3527-1749 - fax: (15) 3527-1749
19 de Outubro de 2018

Campanha alerta sobre necessidade de rótulos mais fáceis em ultraprocessados

Em nova fase, campanha “Você tem o direito de saber o que come” volta a chamar atenção para falta de informação clara nos rótulos de alimentos

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), a obesidade é uma das principais epidemias da atualidade. O grande aumento na prevalência do excesso de peso é atribuído, sobretudo, a mudanças no padrão alimentar da população, destacando-se em particular o aumento acelerado no consumo de produtos ultraprocessados. 

Para reverter esse cenário, a Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável,  rede de organizações e de especialistas da qual o Idec faz parte, desenvolveu a iniciativa “Você tem o direito de saber o que come”. A nova fase da campanha entrou no ar em 17 de outubro e será exibida em horário nobre na TV, em Brasília, seguida de peças para rádio, mídias impressa e digital e out of home (OOH), em destaque na imagem.

filme publicitário apresenta uma família que, ao consumir produtos ultraprocessados que são apresentados como saudáveis, se alimenta essencialmente de açúcar e gordura sem ter consciência disso, estimulada por informações enganosas e pouco claras nos rótulos dos alimentos.

Por meio do slogan “Você tem o direito de saber o que come”, o público é convocado a cobrar a Anvisa a necessidade de aprovação das novas regras sobre rotulagem de alimentos no Brasil e destaca a importância do modelo de rótulos em formato de triângulos para garantir o acesso à informação clara e adequada para escolhas alimentares mais saudáveis.

Segundo Ana Paula Bortoletto, líder do Programa de Alimentação Saudável do Idec, estudos recentes indicam que a obesidade e as doenças ocasionadas pelo excesso de peso estão entre os problemas de saúde mais graves do Brasil. “A Anvisa já indicou em relatório preliminar que o modelo de advertências é o melhor para a compreensão dos consumidores. Agora é necessário finalizar o processo regulatório com todo rigor que a agência já segue, colocando a saúde da população brasileira em primeiro lugar", comenta.

Atualmente, encontra-se em fase avançada de discussão na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) a revisão das normas de rotulagem nutricional. A Aliança pela Alimentação Adequada e Saudável defende a adoção de uma rotulagem nutricional frontal de advertência, entre outras recomendações, conforme proposta apresentada à agência pelo Idec e UFPR. A consulta pública final deve ser aberta pela Anvisa até o final do ano para ampliar a discussão sobre esse tema e definir novas regras para a  rotulagem nutricional no Brasil.

Fonte: Idec